Todos Contra o Corona Vírus

Goiana: Obra de Pavimentação sob Suspeita

A prefeitura de Goiana, na Zona da Mata Norte, tem mais uma dor de cabeça pela frente. Atolada em denúncias e com alto índice de reprovação, a gestão do prefeito Osvaldinho Rabelo e do prefeito em exercício Eduardo Honório precisará explicar o custo de mais de R$ 2,5 milhões para realizar a pavimentação de um trecho de 350 metros no acesso à UPA do município.



Além da pavimentação, também está prevista a drenagem e a iluminação do pequeno trecho. O valor por metro assusta: serão gastos pelo município R$ 7.264 por metro construído. O serviço está previsto para ser concluído até o dia 17 de junho. “O alto valor nos chama atenção e gostaríamos que a prefeitura apresentasse alguma justificativa para gastar tanto dinheiro em uma obra de pequeno porte”, questiona o vereador Bruno Salsa (PSB).


O serviço é para facilitar o acesso à UPA onde funcionará um hospital de campanha da prefeitura, obra que já está atrasada e deveria ter sido inaugurada no dia 13 de maio. A intenção é ampliar a rede de tratamento dos casos de covid-19. Neste sábado (23), Goiana chegou a 200 casos confirmados, com outros 52 em investigação. 24 pessoas já faleceram vítima do novo coronavírus e 20 pacientes foram recuperados até agora. “Queremos transparência não apenas na divulgação dos valores das obras, mas também na sua justificativa. O povo de Goiana precisa saber para onde está indo o dinheiro público. Será que os recursos não poderiam ser utilizados na compra de equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde e ou em ações de combate à pandemia?”, questiona Bruno Salsa.


A denúncia expõe a fragilidade da gestão Osvaldinho Rabelo/Eduardo Honório. No começo de abil, o Procurador Geral de Justiça, Francisco Dirceu, requereu ao Tribunal de Justiça de Pernambuco a intervenção estadual em Goiana. Entre as justificativas, está o descumprimento de aplicação da receita mínima de 25% da arrecadação na educação, abertura de créditos sem autorização da Câmara de Vereadores, descaso nas ações da saúde, além de suspeita de fraude de licitação, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato na contratação de empresa para recolhimento do lixo no município. O pedido segue em análise no TJPE.


Assessoria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana