Auxílio Emergencial reduziu pobreza em 2020, afirma IBGE

 

Auxílio emergencial Foto: Agência Brasil/Marcello Casal Jr

Um relatório publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (3) apontou que o Auxílio Emergencial, programa de transferência de renda instituído pelo governo federal durante a pandemia de Covid-19, ajudou a reduzir a porcentagem da população pobre no Brasil em 2020, na comparação com 2019.

De acordo com os dados divulgados pelo instituto, 24,1% da população brasileira era pobre em 2020, considerando as linhas de pobreza do Banco Mundial (5,50 dólares por dia per capita, ou R$ 450 por mês) frente a 25,9%, em 2019. Sem os benefícios dos programas sociais, a proporção de pessoas na pobreza teria ficado em 32,1% em 2020 e em 28,2% em 2019.

Os números, que constam na Síntese de Indicadores Sociais 2021, mostraram um efeito expressivo do programa também na porcentagem de pessoas em estado de pobreza extrema- que, pela classificação do Banco Mundial, considera quem vive com menos de 1,90 dólar por dia, algo próximo a R$ 155 por mês, per capita. A proporção da população nessa condição caiu de 6,8% para 5,7%.


– Sem os benefícios dos programas sociais, a gente teria indicadores de pobreza muito mais elevados. A pobreza teria atingido quase um terço da população brasileira e a extrema pobreza chegaria a quase 13% – disse a analista do IBGE Barbara Cobo Soares.


Barbara ressaltou ainda que o aumento da quantia paga pelo governo, que era de R$ 200 no valor médio do Bolsa Família e foi para R$ 600 no Auxílio Emergencial, representou um impacto no rendimento das famílias, resultando assim na redução do percentual da população pobre ou em extrema pobreza no país.


– O valor médio do Bolsa Família antes da pandemia não passava de R$ 200. Quando você passa para um Auxílio Emergencial de R$ 600, isso tem impacto no rendimento dessas famílias. Então, tem uma redução da pobreza e da pobreza extrema. Mas também tem o valor do Auxílio Emergencial como substituto da renda do trabalho perdido – completou.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.