Covid: Enfermeira cristã relata a luta entre a fé e o prognóstico

 Thalita desabafa acerca de seu trabalho de enfermeira em tempos de pandemia

Thalita desabafa acerca de seu trabalho de enfermeira em tempos de pandemia Foto: Acervo Pessoal

Thalita Pauletto é mestre em saúde do idoso, especialista em enfermagem cardiovascular e, atualmente, a enfermeira responsável por uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular de Cuiabá (MT).

Trabalhando no combate à covid-19 desde o começo da pandemia, em março de 2020, viu sua vida ficar restrita à profissão que tanto ama. Em um ano, perdeu pacientes e amigos para a doença. Por vezes, fica dividida entre ter fé ou encarar a realidade dos prognósticos clínicos.

TALENTO EM PAUSA
Thalita conta que a experiência prática com a enfermagem, além do período de residência, veio durante a pandemia.

– É a primeira vez que trabalho como responsável de uma UTI. E tem sido muito difícil! A minha vida se resumiu a ser enfermeira. As possibilidades de sair de casa se reduziram a trabalho, farmácia e mercado – explica.

Recentemente, ao participar de um culto religioso presencial, Thalita notou o quanto sente falta de usar aquele que considera seu maior talento dado por Deus: cantar.

– Quando vi as meninas cantando, me deu muita saudade de fazer o mesmo na igreja. Fui cantando junto com elas e fiquei me perguntando: será que ainda sei cantar? – emociona-se.

A enfermeira relata que desde muito pequena, a música ocupa um lugar especial na vida dela e da família.

– Eu amo cantar! É o meu talento dado por Deus. E tem feito falta para mim como cristã e como mulher, porque essa é uma das formas com que me sinto útil na minha comunidade – afirma.

Cantar é uma das maiores paixões da vida de Thalita, que está pausada devido ao seu trabalho de enfermeira
Cantar é uma das maiores paixões da vida de Thalita Foto: Acervo Pessoal

PLENO NEWS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana