Home Top Ad

AINDA SOBRE "RECÍFILES"

Share:

 


Por Noelia Brito

Editora do Blog da Noelia Brito

As manchetes e comentários sobre as postagens da Delegada Patrícia destacaram o fato dela usar o termo "Recífiles", atiçando o bairrismo do recifense. Um terno pejorativo para a cidade, corriqueiramente usado pelo próprio recifense. 

Entretanto, as falas graves da Delegada, preconceituosas, sobre empregadas, pessoas feias e até sobre não se matar a maioria das pessoas só por ser proibido, lembrando o Witzel, foram relegadas a um segundo plano ou até ignoradas. Sabem por quê? Porque os preconceitos dela são compartilhadas por boa parte dos seus eleitores e da população e não tirariam votos. 

O maior exemplo disso é a própria eleição de Bolsonaro com mais de 55 milhões de votos, apesar de serem homofóbicas, machistas, racistas e classistas, elegeu-se com votos de homossexuais, mulheres, negros e pobres. 

Então, em vez de se criticar as falas preconceituosas da candidata, que revelam seu pensamento e caráter muito mais do que a bobagem do termo "Recífiles" aprendido com os próprios recifenses, instigou-se um outro tipo de preconceito por meio do bairrismo do recifense. 

Grande parte das críticas contra a Delegada vieram carregadas do mesmo preconceito que ficou relegado a um segundo plano, pelos críticos de ocasião. As falas estão lá nas redes sociais da delegada desde 2011, mas não foram empecilho para a imprensa incensá-la e para que lhe fosse concedido até um título de cidadã recifense. 

Os vereadores que pedem a cassação do título de cidadã dado à Delegada, um deles dono de um perfil de deboche e filiado a um partido que também usou o termo "Recífiles" para nominar a cidade, não o fazem por causa dos comentários preconceituosos, pois convivem muito bem com homofóbicos na Câmara do Recife, sem nunca terem pedido sua cessação. 

O autor da ideia, um vereador conhecido por virar a casaca por conveniência eleitoral, até defende uma gestão que comprou respiradores de porcos para os pobres. Não viu escândalo no "KKKKKK" debochado do Secretário de Governo de Geraldo Julio, de quem depende para se reeleger, quando recomendou a compra dos tais respiradores de porcos para serem usados nos pobres. 

Outra candidata a Prefeita foi acusada por um negro em suas redes sociais de manter racistas e classistas em seu comitê que o teriam expulsado com ofensas por ser negro e pobre e apesar da resposta pífia da candidata, que nem pediu desculpas e nem negou o fato, não se viu a reação devida dos que se apegam apenas ao seu orgulho bairrista e preconceituoso. 

Os políticos são reflexo do povo que representam e esse é o nível dos políticos brasileiros, sejam eles de esquerda ou de direita, movidos por oportunismo e hipocrisia, pois é assim que se movem os eleitores que os elevam aos postos mais altos para, em seguida, fazê-los cair em desgraça.

Nenhum comentário