Compesa/BRK constroem estação de tratamento de esgotos na beira da praia, em Pontas de Pedra


Por Carlos Augusto Pereira

Durante décadas o poder público municipal não teve a responsabilidade de preservar espaços para equipamentos públicos, como do sistema de esgotamento sanitário, áreas livres e de lazer.

Praças e mesmo o leito de ruas foram e estão sendo ocupados ou estreitados. O problema é comum nas cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco.


Espaços públicos são raros e mesmo o leito de lagoas são aterrados.
Em todo território de Goiana temos problemas.

Muitos não respeitam o espaço público e a Prefeitura não exerce o controle urbano.

A Compesa está décadas atrasada com o saneamento das cidades. Agora, quando tardiamente realiza obras de saneamento, faltam áreas livres para construir os equipamentos.

No caso de Pontas de Pedra, a conta chegou e a vizinhança da lagoa de decantação e/ou da estação de tratamento de esgotos está pagando alto preço.

Esgotamento sanitário é um avanço. Se o projeto de engenharia for tecnicamente correto e se a obra atender às exigências ambientais e sanitarias devemos comemorar.

O grande desafio vai ser o controle social de uma obra à beira da praia em região turística.

A sociedade tem que estar vigilante para a correta operação do sistema. Havendo falhas,  o dano será imensamente maior ao ambiente, à saúde e à imagem da cidade.

Quanto ao local escolhido para a estação de tratamento de esgotos, Pontas de Pedra, paga alto preço por seu baixo grau de mobilização.

Uma comunidade com poder de pressão faria a Compesa construir, a estação em lugar mais adequado, mesmo que precisasse realizar desapropriações.

A responsabilidade final pela escolha do local da estação de tratamento é do município.

Afinal, é a Prefeitura de Goiana  que autoriza obras e o uso do espaço urbano na cidade.

Por outro lado, a CPRH, IBAMA e a Superintendência do Patrimônio da União -SPU, também autorizam e são coparticipantes da decisão de onde construir.

Não é uma escolha que compete apenas à Compesa ou BRK Ambiental, a multinacional canadense responsável pela construção e operação do serviço de
saneamento em Goiana e demais municípios da RMR.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana