Home Top Ad

Homens são presos acusados de estuprar crianças da própria família na Paraíba; exames comprovaram abusos

Share:
Dois homens acusados de praticar estupros  presos nesta segunda-feira (10) pela Polícia Civil. As prisões ocorreram  nas cidades de Belém e Sertãozinho, situadas  no interior da Paraíba, e foram determinadas pela Justiça. 
Três vítimas foram identificadas pela polícia. Entre elas,  há uma portadora de doença mental. 
Na cidade de Belém, a polícia  prendeu José Ferreira da Silva. Segundo informações repassadas pelo delegado Hugo Lucena, o preso é  acusado de praticar atos libidinosos contra a própria  filha, uma criança de 12 anos de idade.  
Essa conduta é considerada pelo Código Penal  como estupro de vulnerável. Mas a menor não foi a primeira vítima de José Ferreira.
A polícia descobriu que o acusado praticou o crime de estupro contra  outra filha adotiva, portadora de deficiência mental.
Os crimes, cometidos  no ano de 2015 , foram  comprovados por exame sexológico. Contra o acusado havia mandado de prisão em aberto, cumprido nesta segunda-feira (10).
O segundo caso, registrado na cidade de Sertãozinho, resultou na prisão de José de Carvalho Cândido, de 26 anos. Ele é acusado de estuprar uma menina de 13 anos de idade. A menor é enteada do pai do acusado, identificado como Severino Teófilo Cândido, mais conhecido como “Preá”.
Ainda de acordo com as investigações, a menina já havia sido vítima anteriormente desse mesmo tipo de crime.
É que Severino Teófilo tambem foi preso um tempo atrás por praticar estupro contra a mesma criança. A mãe da vítima também foi processada por tentar prejudicar as investigações. 
De acordo com Hugo Lucena, no curso da investigação, a Justiça decretou a prisão do acusado. A  própria mãe da menor, identificada como Simone Rufino, foi indiciada por tentar coagir a vítima a mudar sua versão dos fatos para inocentar o padrasto. 
Os dois presos foram submetidos a exames de corpo de delito e encaminhados para unidades prisionais, onde permanecerão à disposição da justiça.

Nenhum comentário