Todos Contra o Corona Vírus

Justiça: Vara de Goiana realiza audiência de divórcio com parte no exterior

 

Um processo judicial de divórcio encerrado em 13 dias. Esse tempo recorde é fruto das inovações tecnológicas e da eficiência do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), que vem se adaptando e se reestruturando com adoção de novas práticas no período da pandemia da Covid-19. A ação ocorreu na 1ª Vara Cível de Goiana (PE), uma das unidades que integra o Juízo 100% Digital no estado.

Segundo a magistrada titular da Vara, Maria do Rosário Arruda de Oliveira, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) causou impactos desafiadores para o Judiciário. “Apesar da dificuldade, o Tribunal reagiu rápido, adotando soluções que minimizaram esses impactos. Um dos exemplos, é o Juízo 100% digital, que permite as comunicações e realização de atos processuais por meios eletrônicos”.

No dia 5 de fevereiro, a autora ingressou com ação de divórcio na comarca de Goiana. Como o requerido encontra-se domiciliado na Espanha, isso impedia a realização de uma audiência presencial. Ainda havia a necessidade de emissão de uma carta rogatória – forma de comunicação entre o Judiciário de países diferentes, com objetivo de obter colaboração para prática de atos processuais. “No caso desse processo de divórcio, em outros tempos, o desejo das partes em desfazer o casamento poderia levar anos, dependendo de uma carta rogatória para citar o requerido que mora na Europa”.

Mas, por meio do Juízo 100% digital avalizando as comunicações por meio eletrônico, a 1ª Vara Cível de Goiana procedeu a intimação das partes por telefone, tendo elas concordado na realização da audiência por meio de aplicativo WhatsApp, no dia 18 de fevereiro. Nesta data, encontravam-se a magistrada da unidade, a conciliadora da Cejusc, as partes – autora em Goiana e requerido na Espanha – e a defensora pública Erika Karla Farias Moura Diniz. Por fim, houve a conciliação e no mesmo dia foi proferida a sentença de divórcio.

“Apesar de todo efeito negativo da pandemia em nossas vidas, as soluções apresentadas nesse período pelo Judiciário a exemplo do trabalho remoto, comunicações por meios eletrônicos, audiências virtuais, digitalização dos processos físicos e atendimento telepresencial com advogados e partes buscaram não só reduzir os danos da pandemia, mas também são práticas que vieram para ficar, pois carregam inúmeros benefícios para a solução do processo de forma mais célere e justa”, conclui a juíza Maria do Rosário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana