POLÍCIA FEDERAL DEFLAGROU A "OPERAÇÃO PROMUS" EM PERNAMBUCO.

 








A Polícia Federal, em atuação conjunta com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e Ministério Público Federal, através da Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista em Pernambuco deflagrou na manhã desta sexta-feira (22), a Operação Promus, para desarticular organização criminosa especializada na prática de fraudes previdenciárias.

O grupo investigado atuava em benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição a partir de complementação de período contributivo mediante recolhimentos na categoria de empregado doméstico, sem a devida comprovação da atividade. 

Foram cumpridos 05 (cinco) Mandados de Busca e Apreensão, nas cidades do Recife/PE e Moreno/PE, expedidos pela 36ª Vara da Justiça Federal no Recife/PE, mediante mobilização de 19 (dezenove) Policiais Federais e 03 (três) servidores da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT), da Secretária Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia.

O fato foi identificado a partir da análise em 10 (dez) processos concessórios de Aposentadoria por Tempo de Contribuição, por parte da CGINT, oriundos da Agência da Previdência Social Paulista/PE, que fazia parte do material apreendido durante a Operação Garoa, deflagrada pela Força-tarefa em 2018, onde ficou evidenciado o “modus operandi” mencionado. 

De acordo com a CGINT, o prejuízo estimado em decorrência do pagamento indevido de 10 (dez) benefícios foi de aproximadamente R$ 700 mil reais e uma economia em pagamentos futuros na ordem de R$ 3 milhões de reais, considerando-se a expectativa de sobrevida projetada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), caso o esquema fraudulento não tivesse sido detectado. A economia futura está adstrita, neste caso, a continuação do pagamento de 04 (quatro) dos benefícios analisados, haja vista os outros 06 (seis) terem sido cessados anteriormente por ação do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS. 

No decorrer da análise, foram identificados mais de 260 (duzentos e sessenta) processos de aposentadorias por tempo de contribuição, nas mesmas condições, que serão encaminhados ao INSS para providências ao seu cargo, o que possivelmente elevará o montante do prejuízo futuro. 

O nome da operação, “PROMUS”, vem do latim, que significa MORDOMO, em alusão ao modus operandi utilizado pela Organização Criminosa que complementava o tempo de contribuição dos beneficiários envolvidos, mediante recolhimento de contribuição com vínculo de doméstico.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana