Irregularidades: TCE/PE determina suspensão de mais três licitações da Prefeitura de Goiana. R$ 13 milhões em obras estão sendo investigadas


A Segunda Câmara do Tribunal de Contas referendou, em sessão realizada nessa segunda-feira, dia 29 de junho, uma Medida Cautelar que determina ao prefeito de Goiana, Eduardo Honório Carneiro (sem partido), a suspensão de três licitações realizadas no município, consideradas restritivas da competitividade e inoportunas para acontecer durante o estado de calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19.

A Cautelar foi expedida monocraticamente pela conselheira Teresa Duere, a partir de representações apresentadas pelas empresas Construtora Construterra e Serviços Eireli e JS Assessoria Consultoria de Licitação ME, a cerca de possíveis irregularidades existentes nos editais das concorrências públicas nºs 01/2020, 02/2020 e 03/2020, lançadas pela Prefeitura Municipal de Goiana com o objetivo de contratar empresas para execução de obras de engenharia, visando o calçamento em paralelepípedos de diversas ruas do município, com valor total em aproximadamente R$ 13 milhões (R$ 12.974.272,10). Teresa Duere é relatora das contas do município em 2020.

Saiba mais:

O argumento das empresas, ao solicitar a cautelar, foi de que consideraram irregular, para fins de qualificação técnica, a exigência de apresentação de atestado de capacitação técnico-operacional em nome da empresa e registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), por configurar cláusula restritiva da competitividade, contrariando o art. 37,  XXI, da Constituição Federal, o art. 3º, caput, paragráfo 1º, I, e o art. 30, parágrafo 1º, I, da Lei nº 8.666/1993, bem como o art. 55 da Resolução 1.025/2009, do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA).

Notificada para apresentar contrarrazões ao teor das representações, a Prefeitura de Goiana, por meio de seu Procurador-Geral e do Presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), limitaram-se a alegar que o edital reproduziu o texto legal (art. 30, II, parágrafo 1º, I, da Lei nº 8.666/93), sem análise da fundamentação jurídica constante nas peças das empresas representantes.

Confira abaixo a íntegra da Medida Cautelar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana