Home Top Ad



COVID-19: entenda o perigo de tentar produzir álcool em gel caseiro

Share:
COVID-19: entenda o perigo de tentar produzir álcool em gel caseiro
O álcool em gel, um importante aliado no combate ao COVID-19, está se tornando uma raridade - Foto: Marcello Casal JR/ Agência Brasil

Por causa da falta de álcool em gel nas farmácias, devido à pandemia do coronavírus, tem gente que está tentando produzir o material em casa. O professor de engenharia química, Aleksandros Souza, especialista no assunto, faz um alerta para o perigo dessa produção caseira.

Perigo

O problema é que a produção do álcool em gel requer manipulação do álcool, um produto altamente inflamável. Para confeccioná-lo, é necessário usar um tipo de equipamento que é restrito, de uso exclusivo das Forças Armadas. Além disso, o álcool em gel deve ser produzido em laboratório.

Produção caseira

Algumas opções de produção do álcool em gel estão viralizando nas redes sociais. Uma das opções é o produto feito com gelatina, que ajuda a cultivar e proliferar bactérias. Outra é a opção com gel de cabelo, que exige o uso do álcool puro, extremamente inflamável.

Alternativas

O produto, um importante aliado no combate ao COVID-19, está se tornando uma raridade. No entanto, ele não o único e, nem de longe, o principal aliado contra o vírus.
Na ausência do álcool em gel, o álcool 70% pode e deve ser utilizado. O principal método de prevenção, no entanto, é feito em casa mesmo, com água e sabão.

COVID-19 no Brasil

O número de mortes chegou a 7, no Brasil. Além disso, o país tem 291 casos positivos da doença.

Coronavírus em Pernambuco

O Estado de Pernambuco registrou 28 casos de COVID-19, o novo coronavírus. Diante do aumento diário de pessoas infectadas com o vírus, o Governo de Pernambuco anunciou que os shoppings, salões de beleza e correlatos, clubes sociais, bares, restaurantes, lanchonetes e comércio de praia ficam fechados, a partir do dia 21 de março. De acordo com o governador, bares e restaurantes só podem funcionar apenas para a realização de entregas. 
De acordo com a SES-PE, entre as novas pessoas infectadas, quatro são do Recife, uma de Jaboatão dos Guararapes e uma pessoa que mora no Rio de Janeiro, mas teve a confirmação da Covid-19 na capital pernambucana. 

Veja dicas de prevenção contra o coronavírus

* Higienize as mãos
Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel.
Por quê? Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.
* Mantenha distância social
Mantenha pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes.
Por quê? A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.
* Evite tocar os olhos, o nariz e a boca
Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação
Por quê? As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.
* Pratique higiene respiratória
Tenha boas práticas de higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente.
Por quê? Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada evita não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.
* Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente
Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente.
Por quê? Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.
* Uso de máscaras
Pessoas saudáveis, sem sintomas como febre, tosse ou espirros não precisam usar máscaras
Por quê? Apenas profissionais de saúde e pessoas que apresentem sintomas parecidos com os do novo coronavírus precisam usar máscaras. A função das máscaras é conter a propagação do vírus em quem já está infectado. A OMS recomenda o uso racional das máscaras.
* Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde
Por quê? Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.

Decreto de calamidade pública

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por votação simbólica, o pedido do governo federal para declaração de estado de calamidade pública no país. O projeto será encaminhado para votação no Senado e precisa de pelo menos 41 votos para ser aprovado.

Nenhum comentário