TJPE publica Ato Conjunto sobre retomada das atividades presenciais das unidades administrativas e judiciárias do Estado

 Fachada do Palácio da Justiça

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) publicou o Ato Conjunto nº 39/2021 que dispõe sobre a retomada, a partir do dia 20 de setembro, das atividades presenciais em todas as unidades administrativas e judiciárias de 1º e 2º graus do Poder Judiciário estadual. O documento, assinado pelo presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, e pelo corregedor geral da Justiça, desembargador Luiz Carlos Figueiredo, foi publicado na Edição 171/2021, do Diário da Justiça Eletrônico (DJe).

O Ato 39 também trata do retorno do horário regular do expediente forense na Comarca da Capital, com o respectivo retorno ao horário anterior à pandemia no Recife, nos turnos matutino e vespertino. E inclui em sua normativa o percentual de servidoras e servidores que devem cumprir o expediente presencial diário, em sistema de rodízio nas unidades, considerando fatores como o avanço da vacinação contra a Covid-19 no Estado, a natureza da atividade jurisdicional e a necessidade de se estabelecer um percentual mínimo de pessoas ao retorno presencial. Para isso, assegurando a saúde de todos os magistrados, servidores, estagiários, colaboradores e demais usuários dos serviços judiciários, na atual conjuntura epidemiológica de pandemia, cujos dados vêm apresentando estabilidade.

Nas unidades judiciárias e varas únicas de 1ª e 2ª entrâncias do Interior e da Região Metropolitana do Recife permanece, até ulterior deliberação, o horário de expediente presencial, das 7h às 13h. Em hipóteses excepcionais, devidamente fundamentadas, a juíza e/ou o juiz da Comarca ou unidade judiciária poderá determinar o cumprimento do expediente presencial em horário diferenciado, por servidores específicos, em casos ou dias especiais, submetendo à prévia autorização do Conselho da Magistratura do TJPE.

No Ato nº 39/2021, há a definição do percentual de 70% do total das pessoas alocadas nas unidades administrativas e judiciárias do Poder Judiciário pernambucano, em expediente presencial diário, enquanto os demais servidores devem permanecer em regime diferenciado de trabalho remoto de modo a cumprirem o horário regular da unidade. O quantitativo de usuários internos em horário de expediente presencial não deve ultrapassar o percentual definido, respeitando-se os protocolos de segurança já estabelecidos e divulgados, notadamente a distância de 1 m entre as estações de trabalho, o uso de máscara e de álcool em gel. O documento recomenda o sistema de rodízio de servidores e colaboradores em expediente presencial, excluindo-se as gestantes.

A normativa cita, ainda, o retorno imediato das visitas externas de qualquer natureza, no âmbito do Poder Judiciário, como as que são realizadas pelas equipes de Psicologia, Pedagogia e Assistência Social, notadamente a confecção dos laudos oriundos de processos em trâmite nas varas de Família. E recomenda aos magistrados, chefes de secretaria e diretores para darem prioridade à migração dos processos físicos para o formato do Processo Judicial Eletrônico (PJe), sobretudo os que envolvem pessoas idosas, bem como àqueles que estão sujeitos ao cumprimento das metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e os que entenderem como prioritários.

Obrigatoriedade de apresentação do cartão de vacinação – O Ato nº 39 estabelece a obrigatoriedade de apresentação da cópia do cartão de vacinação às chefias imediatas. Em relação às pessoas que decidirem não se vacinar, estas devem indicar a sua recusa à imunização, a ser informada à Secretaria de Gestão de Pessoas do Tribunal.

Atendimento externo presencial e virtual – Fica assegurado o atendimento presencial pelos servidores, durante o horário regular do expediente da unidade judiciária aos membros da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Pernambuco (OAB), Defensoria Pública, Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e demais colaboradores da Justiça, independente de agendamento prévio, além dos canais de atendimento na modalidade virtual, que devem ser manejados por todas as unidades administrativas e judiciária, a saber: e-mail, Siga-Me, aplicativo TjpeAtende, videoconferência, Juizado Digital e o Balcão Virtual. O ato também estabelece o fim do agendamento para atendimento de advogados, exceto para despacho com magistrados.

Audiência e julgamentos – O Ato faculta aos magistrados a realização de audiências e sessões de julgamento pela modalidade, presencial, virtual ou telepresencial, mas destaca a possibilidade de retorno de audiências e sessões de julgamento presenciais. No caso de as sessões serem presenciais, o acesso às dependências do fórum pelas partes e testemunhas permanece restrito à data e horário da audiência ou sessão designada, sendo recomendado ao magistrado enviar semanalmente para a Diretoria do Foro as pautas, para ciência e controle.

Audiências de custódia – A partir da próxima segunda-feira (20), o retorno presencial das audiências de custódia em dias úteis, mediante apresentação de custodiados, nos seguintes Polos: Central de Flagrantes de Recife; Polo de Audiências de Custódia de Olinda; Polo de Audiências de Custódia de Jaboatão dos Guararapes; Polo de Audiências de Custódia de Nazaré da Mata. Os custodiados e a escolta deverão ingressar na área interna da Central e dos Polos, notadamente na sala de audiência, munidos de máscara. Nos demais Polos, ficam mantidas as audiências de custódia por videoconferência, até ulterior deliberação. Será mantida a modalidade de videoconferência para as audiências de custódia nos feriados e plantões judiciários em todas as sedes de Plantão Judiciário.

Para ler o Ato 39 na íntegra, acesse Aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana