Oposição perde mais uma: Justiça mantém Osvaldinho e Eduardo no comando da Prefeitura de Goiana

 


A oposição de Goiana passou os últimos 4 anos acumulando seguidas derrotas na Justiça para Osvaldinho e Eduardo Honório. Na última segunda-feira (5/10), mais um capítulo da já vasta história de insucessos jurídicos da oposição foi escrito, quando os desembargadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiram rejeitar a liminar que pedia uma intervenção estadual no município.

No pedido de intervenção feito pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), aquela que seria a principal irregularidade cometida pela atual gestão trata do descumprimento da aplicação de 25% da receita do município na área de educação, o que é obrigatório segundo a Constituição. O advogado de Osvaldinho e Eduardo Honório, Alcides França, explicou que em dezembro de 2017 houve um alto pagamento de tributos, “principalmente pela fábrica da Jeep”.

“Como o pagamento de mais de R$ 15 milhões foi efetuado no dia 18 de dezembro, não houve tempo hábil para a aplicação desses recursos na Educação. Como o percentual a ser aplicado é calculado em cima dos recursos recebidos pelo município, o investimento em Educação aparece abaixo do previsto”, argumentou.

Com a rejeição do pedido de liminar, o processo de intervenção deverá ser julgado em seu mérito. Ainda não há data prevista para esse julgamento. No entanto, a expectativa é de que ele não ocorra até o fim deste ano. 

Esta vitória de Osvaldinho e Eduardo Honório representa o fortalecimento da democracia no município, o respeito aos milhares de votos de eleitores de goianenses que os escolheram para governar e, ainda, proporciona uma injeção de ânimo na militância do candidato à prefeito Eduardo Honório. Uma prova disso foi a carreata espontânea que correligionarios de Eduardo realizaram na noite de segunda-feira, logo após o anúncio da decisão judicial

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engenheira pernambucana vai comandar fábrica da Jeep em Goiana (PE)

Vereador Sargento Torres faz requerimento para que seja suspenso por 120 dias o desconto em folha dos empréstimos consignados dos Ativos e inativos da Prefeitura de Goiana