Home Top Ad



IML confirma cadáver com suspeita de coronavírus

Share:
Foto ilustrativa

Após o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, divulgar um vídeo e o sindicato emitir uma nota questionando a transparência do governo de Pernambuco sobre óbitos decorrentes do Coronavírus, em Pernambuco, tendo em vista a existência de pelo menos três óbitos suspeitos de coronavírus no Estado, o IML emitiu um comunicado sobre apenas um dos casos, em que reconhece as suspeitas, mas que as teria descartado. Além dos óbitos suspeitos, o Sinpol também questiona o não fornecimento de equipamentos de proteção individual aos profissionais que atuam no IML, necessários à necropia  de mortos por doenças infecto-contagiosas.

Na nota, assinada pelo IML, o governo afirma que, de fato, recolheu um cadáver em avançado estado de putrefação e que por isso a vigilância sanitária não pode fazer os exames laboratoriais do material colhido. Sem a confirmação ou descarte laboratorial para coronavírus, o IML teria decidido fazer a necropsia e descartado covid 19 pela análise do histórico do idoso e pela data da morte. A nota, no entanto, não informa qual teria sido a causa do óbito.

Sobre a denúncia de falta de EPIs específicos para doenças infecto-contagiosas, como coronavírus, denúncia que também foi feita ao Sinpol por profissionais que trabalham no próprio IML, a direção do órgão deu declaração genérica sobre o fornecimento de equipamentos, mas sem esclarecer se são aqueles cujos funcionários do órgãos reclamam a falta.

Sobre a morte de uma idosa na UPA da Caxangá, cuja documentação médica, em poder da Funerária Amorim, aponta para morte suspeita por coronavírus e de uma diarista, cujo óbito foi noticiado pelo Blog do Ricardo Antunes, nem o governo nem o IML se pronunciaram.  

Apesar do tom raivoso e pouco instirucional da direção do IML, chamando de falsas as informações do presidente do Sinpol, a nota confirma o que disse o presidente da entidade sindical quanto à existência de um cadáver com suspeita do Coronavírus naquele órgão. É fácil perceber, assistindo o vídeo, que o presidente no Sinpol fala em suspeita e a própria nota do IML confirma a entrada de corpo com suspeita, mas que a doença foi descaratada por dedução e não por exames laboratoriais. Chama atenção a omissão, na nota, da causa mortis, que pelo que se lê na nota do IML, deve ter sido inconclusiva. 

Que haverá óbitos em decorrência da pandemia, isso é fato declarado pelo próprio ministro da Saúde em entrevistas coletivas e em Pernambuco não será diferente. O Estado, aliás, está listado entre os entes federados onde mais deverão ocorrer óbitos, em razão da grande parcela de idosos em sua população. Anunciar as curas que são a regra, é positivo, para trazer alento à população, mas omitir os óbitos, que são a exceção, ou mesmo suspeitas de óbitos pelo coronavírus, traz uma falsa ideia de segurança à população, que em nada contribui para o trabalho do próprio governo, na tentativa de manter as pessoas em casa. Ontem mesmo divulgamos um video da cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, onde as pessoas circulavam pelas ruas do centro da cidade como se nada estivesse acontecendo. O mesmo se deu da cidade de Paulista. As pessos precisam ser alertadas de que se é verdade que 80% dos infectados ficarão assintomáticos e sequer saberão que adquiriram o vírus, também é verdade que esses mesmos 80% serão os responsáveis, se não se mantiverem em isolamento, por transmitir a doença para outras pessoas, principalmente idosos, para quem o coronavírus pode, sim, ser fatal. No Brasil, já morreram, oficialmente, 19 pessoas, mas na Itália, por dia, já são quase 5 mil mortes e segundo os estudiosos a curva epidêmica do Brasil se assemelha à da Itália.

Ritmo de contágio do coronavírus no Brasil está igual ao registrado na Itália e acelerando, apontam universidades

Nota do IML

O IML informa que não recebeu nenhum corpo cuja morte tenha causa confirmada por Covid-19. Na última sexta-feira (21), um corpo de um homem de 61 anos, falecido em casa e em avançado estado de decomposição, foi recolhido ao IML, sendo periciado pela equipe de médicos legistas. Não havia história clínica compatível com Covid-19 ou nexo temporal e epidemiológico que o aproximasse do coronavírus. Justamente por não representar caso suspeito de Covid-19, a perícia médico-legal foi realizada. A hipótese de contaminação por coronavírus foi levantada, de forma bastante imprecisa, por vizinhos, uma vez que o senhor morava sozinho. Tomando os cuidados necessários, o IML contactou o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde. Devido ao estado de putrefação, não foi possível a realização de análise laboratorial nas amostras coletadas.

A informação dada pelo Sinpol é falsa, irresponsável por causar pânico na população e visa objetivos outros que não ajudar a população, desmerecendo o trabalho sério, dedicado e transparente de todos os profissionais de saúde, segurança e das diversas áreas envolvidas no enfrentamento ao coronavírus.

Esclarecemos ainda que os profissionais do IML (peritos médico-legais, auxiliares de legista e demais servidores) estão trabalhando com os equipamentos de proteção individual e tem empresa contratada especializada para fornecimento de materiais de limpeza adequados à sua atribuição pericial. O instituto encontra-se abastecido e receberá reforço de insumos sempre que necessário.

BLOG DA NOELIA BRITO

Nenhum comentário