Home Top Ad

Morre em Caruaru Mestre Severino Vitalino, aos 78 anos

Share:
Mestre Severino Vitalino viveu para manter o legado artístico do pai / Foto: Divulgação
O artesão Mestre Severino Vitalino, um dos responsáveis por perpetuar o legado do Mestre Vitalino, seu pai, faleceu nesta segunda-feira (07), aos 78 anos, no Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru, onde estava internado desde outubro passado. Severino deu entrada no hospital após sofrer um infarto agudo no miocárdio, sendo portador de doença pulmonar ocupacional, que evoluiu para com insuficiência renal e respiratória.
No dia 8 de novembro, o artesão passou por uma cirurgia de revascularização do miocárdio. Passou um tempo prolongado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), chegando a evoluir para enfermaria, mas com redução na consciência e raciocínio confuso. 
Vida pela obra
O Mestre Severino Vitalino era o responsável a Casa Museu que leva o nome de sua pai no Alto do Moura. Em sua vida artística, decidiu manter o estilo do Mestre Vitalino, que completa 56 anos de sua morte neste mês. Aprendeu o ofício junto ao patriarca ainda criança, desde que foi morar no Alto do Moura. 
Em sua trajetória, moldou mundialmente populares obras do Mestre Vitalino, como A Banda de PífanoLampião e Maria Bonita e Os Retirantes. Na Casa Museu, recebia turistas e contava histórias sobre a trajetória do pai e da família, além de comercializar suas obras. 
Pesar
Por meio de nota oficial, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, lamentou o falecimento do Mestre Severino Vitalino:
“É com profunda tristeza que recebo a notícia do falecimento de Severino Pereira dos Santos, o Severino Vitalino. Filho do grande Mestre Vitalino, ainda criança se mudou com sua família para o Alto do Moura, em Caruaru, onde viveu até o final de sua vida. O povo brasileiro será sempre grato a Severino que, com o seu grande talento, deu continuidade à obra do seu pai e mentor e influenciou a comunidade de artesãos de Caruaru e de todo o país. Meus sinceros sentimentos aos familiares, amigos e admiradores”.

Nenhum comentário